quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Plano Alimentar


Passou o carnaval e agora é hora de colocar a vida no eixo novamente, de acordo com a cultura brasileira, é óbvio. Entro na onda e começo hoje minha reeducação alimentar com nutricionista. Essa é a fórmula que mais tive sucesso com o emagrecimento, sem remédios, sem sopas, sem restrições absurdas, mas com saúde, variedade e muita disposição. Tudo na vida é por meio da disciplina que conseguimos, então chegou a hora de acordar e entrar no clima do corpo e mente saudáveis.

Vou colocar aqui meu plano alimentar para você ter como exemplo, mas lembro que ele está de acordo com os meus horários, meus hábitos alimentares e minha necessidade calórica. Se não me engano, acho que é de 1.400 calorias para começar.

Plano Alimentar

Desjejum – 8h
- 1 Pão de sal c/ 1 colher de chá margarina light
- Café, chá, limonada à vontade (com adoçante)

Colação – 10h30
- 1 porção de fruta
- 2 unidades de biscoito água e sal ou maisena, ou 4 de salpet
- Café, chá, limonada à vontade (com adoçante)

Almoço – 13h
- Salada à vontade
- 2 colheres de sopa de vegetais B
- 1 colher grande rasa de arroz (igual a 2 colheres de sopa de arroz)
- 1 colher grande rasa de feijão
- 1 Porção de Carne

Lanche – 16h
- 1 pão de sal c/ 1 colher de chá de margarina light e 1 porção de queijo
- 1 porção de fruta
- Café, chá, limonada à vontade (com adoçante)

Jantar – 19h
- o mesmo do almoço ou;
- 1 pão de sal com 2 fatias de presunto magro, 1 opção de queijo e bastante salada ou;
- 3 colheres de servir de arroz de sopa;

Ceia – 22h
- 1 porção de fruta
- 1 potinho de gelatina light
Obs: Para cada alimento existe a lista de substituições para você variar sua alimentação.
Lista de substituições:

Substituição de 3 unidades de biscoito água e sal:
- ½ unidade de pão de sal;
- 1 fatia de pão de forma;
- 6 unidades de biscoito salpet;
- ½ pacotinho de club social;
- 6 unidades de biscoito de polvilho;
- 2 unidades pequenas ou ½ unidade grande de pão de queijo

Substituição de 1 unidade de pão de sal
- 2 fatias de pão de centeio;
- 2 fatias de pão de forma;
- 2 fatias de pão integral;
- 6 biscoitos de água e sal;
- 12 unidades de salpet;
- 12 unidades de biscoito polvilho.
- 3 unidades pequenas ou 1 unidade grande de pão de queijo;
- 1 pacotinho de club social;
- 1 barra de cereal light;
- 5 unidades de biscoito maisena;

Substituição de 1 colher de margarina light
- 1 colher de sobremesa de requeijão light;
- 1 colher de chá de maionese light;

Substituição de 1 porção de queijo
- 1 copo lagoinha de leite desnatado;
- 1 colher de sopa de leite em pó desnatado;
- 1 e ½ colher de sopa de leite em pó integral;
- 1 fatia fina de queijo minas fresco;
- 1 e ½ colher de sopa de queijo cottage;
- 1 fatia média de queijo ricota;
- 1 potinho de iogurte desnatado s/ açúcar;

Substituição de 1 colher rasa de arroz
- 1 colher rasa de farofa;
- 1 colher rasa de macarronada;
- 1 colher da de arroz de angu ou fubá;
- 1 colher da de arroz de purê de batatas;
- 2 colheres rasas da de arroz de batata inglesa cozida ou mandioca cozida;
- 2 colheres rasas da de arroz de milho verde;

Pode ser escolhida uma das porções de carne:
- ½ bife médio de boi ou porco;
- 1 unidade média de carne cozida;
- 2 colheres de sopa de carne bovina moída
- 1 unidade média de lingüiça;
- 1 pedaço médio de peixe;
- ¼ de peito ou 1 coxa ou ½ filé de frango;
- 1 unidade de ovo ou 2 claras de ovo;
- 4 unidades de ovo de codorna;
- 2 fatias médias de presunto;
- 2 unidades pequenas de salsicha;
- 1 unidade de sardinha em água;
- 1 fatia grossa de moratadela;
- ½ lata de atum enlatado em água.

Vegetais do grupo B (2 colheres de sopa):
Abóbora moranga, beterraba, cenoura, chuchu, ervilha, nabo, quiabo, vagem.

Coma à vontade os seguintes alimentos:
Acelga, agrião, alface, almeirão, abobrinha, brócolis, berinjela, cebola, cheiro verde, chicória, couve flor, couve, espinafre, jiló, mostarda, pepino, pimentão, rabanete, repolho, taioba, tomate.

1 porção de fruta é igual à: (pode-se fazer suco com a porção de fruta)
2 rodelas de abacaxi, 1 ameixa amarela média, ½ copo de amora, 1 laranja média, 2 maracujás médios, 10 unidades de morango, 1 manga pequena, 1 goiaba média, 1 fatia média de melão, 1 maçã média, 1 pêra média, 3 carambolas médias, 15 unidades de jabuticaba, 1 fatia grande de melancia, 1 caqui pequeno, 1 fatia de mamão, 8 unidades de uva, 1 banana pequena.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Bolero de Ravel

Hoje, conversando com o secretário de Educação sobre a inauguração de uma escola decidimos que vamos trazer bandas para fazer um evento bacana (é lógico que não é com dinheiro público, mas sim dos fornecedores, patrocinadores). Então, eis a questão!
Precisamos deifinir uma banda da qual o povo goste. De cara, foi sugerido uma dupla sertaneja, que chama público, eu sugeri um pop rock, o secretário gostou da idéia do axé. Eu pensei: deve ser disso que o povo gosta. Ele parece que leu meus pensamentos e já foi justificando que a música tem a ver com o prazer, que não precisamos ficar na ideologia de gostar de músicas eruditas só para afirmar que gostamos de qualidade. Eu entendo a parte dele, mas pra falar a verdade eu amo música erudita e não é para aparecer não. É questão de gosto mesmo.
Navegando pelo Youtube, econtrei meu Bolero preferido. Olha que coisa mais criativa! Considero o Bolero de Ravel a mais linda obra composta pelo estilo, classe, equilíbrio. Confere aí.
Detalhe: na véspera do carnaval eu posto o Bolero de Ravel... rsrsrsrs

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Teoria Interessante

“Quando tudo dá errado, é sinal de que você está no caminho certo”. Essa teoria interessante eu escutei de uma pessoa, que não falou diretamente pra mim, mas tomei como lição. Esses dias tenho enfrentado um furacão. O furacão que está passando na minha vida, além de deixar aquela bagunça quando acabar, está me fazendo mudar. E a mudança está acontecendo pela dor mesmo. Os olhos se abrem quando você perde seu chão, seu conforto, sua paz, quando você sofre injustiça. De tudo que alguém pode imaginar, eu tenho passado. Tem dias que dá vontade de desistir, tem dias que descubro o quanto sou forte. Sem falar na fé em Cristo.

Então, é por isso mesmo que tenho certeza que estou no caminho certo, pela fé, pela esperança no meu Jesus. Ele falou que teremos aflições, mas para termos bom ânimo porque Ele venceu o mundo. Eu acredito nisso. A força que me move vem Dele, só pode ser. Se for parar para te contar todos os meus problemas, ainda tenho que dar graças a Deus porque tenho saúde, minha família tem saúde. Outro dia estava reclamando porque fui injustiçada, aí meu amigo me conta que a mãe dele está com câncer novamente. A minha cara ficou quadrada. Não tive coragem de dizer nada, só pensei o quanto sou ingrata.

Portanto, a vida é assim, nem tudo são flores, mas levanta a mão pro céu porque você pode apenas viver...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Alvará de Soltura

Hoje é quinta-feira e também é o dia do alvará de soltura meu e do meu amor. Você pode até estranhar, mas nesse dia da semana combinamos que sairemos cada um com os seus amigos. Tem gente que desaprova, tem gente que aprova. Eu acho super importante manter a privacidade e ter momentos com outras pessoas. É claro que mantendo o respeito e a fidelidade, e não indo a baladas de solteiros convictos, afinal, tudo tem limite, né? Mas, desde de que inventamos esse alvará de soltura, nosso relacionamento não mudou, aliás, só melhorou. Cada um com direitos iguais!
Então, para descontrair, oficializamos o documento:
(Copia aí gente! kkkkkkkkkkkkkkkkkk)
A L V A R Á D E S O L T U R A

FORMULÁRIO PARA SAIR SOZINHO E CHEGAR TARDE

Minha caríssima Esposa/Companheira/Namorada/Paquera/Ficante,....:
Pela presente, solicito humildemente autorização a V.Sa., Autoridade Máxima na minha vida, para me ausentar no seguinte período:

Data: Hora de saída: Hora de regresso:

Em caso de atendimento à solicitação, juro solenemente pelo presente documento visitar unicamente os lugares referidos abaixo. Igualmente, comprometo-me a não falar com outra Mulher além das listadas abaixo, sem obter autorização verbal com um mínimo de uma hora de antecedência. Não desligarei o celular depois de duas bebidas, nem deverei consumir acima do nível de álcool abaixo autorizado, sem antes chamar um táxi. Entendo que mesmo que esta autorização seja concedida, a Autoridade Máxima conserva o direito de se chatear comigo durante a semana imediatamente posterior sem necessidade de justificação para tal, porém em silêncio.

Quantidade de álcool autorizada:
Lugares de visita autorizados:
Mulheres que posso encontrar:

Declaro conhecer quem manda em nossa relação e afirmo que não sou eu.
Prometo cumprir as regras, normas e procedimentos que a Autoridade Máxima estabelecer como condições para a presente solicitação. Prometo, do mesmo modo, dormir num banco de praça no caso de não regressar para casa até a hora autorizada acima.
De volta à casa, prometo que não me chatearei com reclamações e ofensas pois não surtirão efeito na minha mente confusa.
Prometo, também, que não entrarei em discussões profundas com a Autoridade Máxima. Entendo que o armário, o aparador, o balde da roupa suja, o frigorífico e a máquina de lavar roupa não são lugares autorizados para necessidades urinárias.

Ass. _____________________________________
A solicitação é CONCEDIDA NEGADA

Esta decisão não é susceptível de negociação.
"……………………………………………………………………………………………………………

Autorizo meu marido: ______________________________________________
Data: Hora de saída: Hora de regresso:

Assinado – Autoridade Máxima:

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Paciência


No momento essa música fala muito na minha vida. Não é preciso dizer mais nada.


Paciência
Lenine

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára...

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Comer, Rezar, Amar

No final do ano todos os sites fazem promoções, principalmente nos dias de feriado. Fiquei atenta e peguei uma super queima de estoque na Saraiva com livros pela metade do preço. Estava fazendo a festa quando o título do livro me chamou atenção: Comer, Rezar, Amar, da Elizabeth Gilbert. Verifiquei que era uma história verídica de uma jornalista e escritora sobre viagens pelo mundo. Decidi comprar. Tudo bem que tenho muito preconceito sobre best sellers, mas precisava ter momentos de diversão e também confesso que não sou crítica literária, muito menos intelectual. Mais tarde, desfrutando da leitura, não me arrependi nem um pouco, pelo contrário, tive vontade de ter uma experiência assim como a de Liz.

Ela acabara de se divorciar, por decisão própria, porque precisava se encontrar, e apesar de todo processo de depressão, decidiu que passaria um ano inteiro, divido em quatro meses, morando na Itália, Índia e Indonésia. Na Itália, ela engordou 11 kg em busca do prazer; na Índia, encontrou-se com seu deus; e na Indonésia, apesar de ter ido para morar com um xamã, descobriu o amor de sua vida.

Contando assim a grosso modo não parece nada demais, mas juro que lendo o livro quase morri de vontade de ir morar na Itália, aprender o italiano, honrar minhas origens e provar da fabulosa culinária. Tive vontade de ir à Ìndia, não para ficar meditando e cantando mantras, porque sou bem resolvida com minha fé, mas para estar num lugar místico junto da natureza e com a tremenda disciplina num ashram. Em Bali, então, além das praias paradisíacas, dá vontade de curtir a liberdade diante da mistura dos costumes e raças.
Fora que fiquei muito curiosa para saber quem era o brasileiro por quem Liz se apaixonou, procurei fotos pela net e não achei nada. Aliás, se alguém achar me conte aonde, por favor! Enfim, indico o livro porque além de despertar o espírito viajante, a curiosidade nata na experiência alheia, também é uma leitura prazerosa, em que Liz prende nossa atenção ao contar sua história. Sem falar na invejinha básica de poder ter dinheiro suficiente para ir morar pelo mundo afora durante um ano inteiro, sem se preocupar, porque a renda de seus livros vendidos é o bastante para se autosustentar!

Curta um trechinho de como começa a história de Liz:

E uma vez que já estou ali ajoelhada no chão em posição de súplica,
deixem-me manter essa posição enquanto viajo no
tempo até três anos atrás, até o instante em que toda esta
história começou – um instante que também me encontrou nessa
mesma exata posição: de joelhos, no chão, rezando.
No entanto, tudo o mais em relação à cena de três anos atrás era diferente.
Daquela vez eu não estava em Roma, mas sim no banheiro do
andar de cima da grande casa no subúrbio de Nova York que eu acabara de
comprar com meu marido. Eram mais ou menos três horas da manhã
de um novembro gelado. Meu marido dormia na nossa cama. Eu estava
escondida no banheiro pelo que deveria ser a 47a noite consecutiva, e –
como em todas aquelas outras noites – estava soluçando. Soluçando com
tanta força, na verdade, que uma grande poça de lágrimas e muco se espalhava
à minha frente sobre os ladrilhos do banheiro, um verdadeiro lago
formado por toda minha vergonha, medo, confusão e dor.
Eu não quero mais estar casada.
Eu estava tentando tanto não saber isso, mas a verdade continuava
a insistir.
Eu não quero mais estar casada. Não quero morar nesta casa grande.
Não quero ter um filho.