terça-feira, 28 de julho de 2009

Emagreça mudando o corpo e a cabeça

Comprei um livro novo sobre obesidade. Sempre pesquisando sobre o assunto, descobri no livro “Emagreça mudando o corpo e a cabeça”, dos autores Marcelo Kessler, Alfredo Halpern e Rubén Zukerfeld, novas dicas interessantes. Ainda não acabei de ler o livro, mas já compartilho com vocês.

Na primeira parte do livro, os autores explicam sobre a obesidade e para partir adiante na leitura, é necessário escrever uma carta para exercitar o humor e ter motivação. O tema da carta é adeus aos alimentos que abandonarei e despedida aos quilos a mais. Entrei no clima e escrevi . As minhas cartas ficaram engraçadíssimas!

Vou postar aqui dicas interessantes, fugindo das habituais que qualquer pessoa que se interessa por dietas conhece:

"Antes do almoço e do jantar, chupar lentamente uma bala azeda ou comer de 2 a 3 picles. É um truque para liberar a insulina e ter uma sensação de saciedade. Seu apetite vai diminuir."

“Use sempre o mesmo prato, mas que ele seja diferente dos demais. Não é segregação, é um recurso para não deixar que você se esqueça da sua dieta. Um prato bem bonito pode ser um grande aliado nessa hora difícil.”

“Repare o jeito que os gordos comem. Todos seriam reprovados num concurso de boas maneiras. Provavelmente, você já foi assim um dia, e observá-los vai ajudá-lo a modificar seus hábitos.” (Essa eu achei preconceituosa, mas se pensar bem no fundo, eles têm razão. O gordo come na velocidade do pensamento e seu prato é sempre uma montanha a ser escalada)

“Use pratos e talheres de sobremesa. Isso ajudará a controlar a quantidade de comida a ser servida. Faça de conta que está brincando de Terra dos gigantes, só que o gigante é você.” (Essa é meio apelativa, mas vale tudo para emagrecer, ainda mais que nosso olho é maior que a barriga. E a barriga de um gordo sempre cabe mais.)

“Não raspe o prato, deixe sempre sobrar um pouquinho. Esta regra não consta nos manuais de etiqueta mas aumentará muito o seu senso de autocontrole”.

“Não faça da dieta uma questão de vida ou morte. Mudanças muito drásticas costumam desestimular de saída. Seja mais indulgente consigo mesmo.”

“Afaste a idéia de que a comida resolve todos os seus problemas. Ela é o seu problema.”

Bom, outra parte do livro que achei sensacional é a das Mentiras Sinceras. “Não vai faltar na sua vida gente oferecendo um docinho, um golinho, uma dentadinha, tudo aquilo que parece pequenininho mas que faz uma diferença enorme na balança. Dizer que está de dieta não os convence. Tenha sempre na ponta da língua pequenas mentiras que liquidam o assunto:

A um desconhecido
“Não, obrigado. Tenho diabete”.

A um conhecido
“Não, obrigado. Tive um ataque do fígado ontem à noite, quase fui parar no hospital.” E troque de assunto.

A um amigo
“Não posso, estou de jejum. Amanhã vou tirar radiografia da vesícula”.

À sua mãe ou sogra
“Não posso, tive uma intoxicação depois de comer um salgado na rua”. Dê a elas a alegria de ver confirmadas suas previsões horrendas a respeito de quem come porcaria na rua.

Aos seus colegas de trabalho
“Não, obrigado. Vendi meu estômago para um transplante. Meu salário não está dando para cobrir as despesas”.

Ao seu marido
“Não, obrigada, querido. Estou com enxaqueca”.

À sua esposa
“Não, obrigado, querida. Estou com enxaqueca”.

Depois eu posto mais. Bom humor não falta!

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Que tal Dia do Cão Amigo?

Um ursinho!!!

Esse foi o meu primeiro beijo!!!

Algum de seus cochilos!

Bebella concentrada na bolinha!


Bono e Bella emburrados porque vamos sair!


No último dia do amigo recebi algumas mensagens carinhosas de amigos cuidadosos. Não sou muito cuidadosa, sou até muito relapsa, mas meus amigos me conhecem e acredito que gostam de mim assim mesmo. Fui pesquisar quem inventou o dia do amigo e descobri que foi um argentino. Quem quiser saber mais joga no Google! Fiquei pensando que então eu poderia inventar o Dia do Cão Amigo. Se é que ele não existe, mas se sim, deveríamos popularizá-lo.

Gente, existe amigo mais fiel que um cão? Até dizia Vinicius que o whisky é o cão engarrafado...
Enquanto estou aqui, nesse exato momento, meus dois goldens, Bono e Bella, estão deitados no meu pé, curtindo a minha adorável presença, pelo menos para eles. Se ouso me levantar a ir na cozinha, eles me acompanham. Acho isso fantástico! Meus cães querem estar onde estou.

Sem falar nas manias que eles têm. O poder de comunicação desses dois chega a me deixar pasma. Bono quando quer alguma coisa chega perto de mim, bate sua pata gigante e pesada na minha perna, e começa a latir. Bella simplesmente pula em cima de mim com seu jeito destrambelhado. Todos os dias quando chego do serviço, além deles estarem me esperando deitados no portão, Bebella sempre rouba algo, como o tapete do banheiro, e vem me entregar (a raça retriever explica). Eles me esperam almoçar do lado de fora, pois não gosto que fiquem babando do meu lado. Quando deixo eles entrarem, Bono para em frente ao meu quarto e começa a latir, aí eu tenho de falar: vamos deitar um tiquim?

Ficamos lá, eu na cama, ele embaixo, assisto ao jornal e ele cochila. Todos os dias tenho que fazer isso, caso contrário, escuto um choro baixinho com um suspiro profundo. Nunca mais vou ter um cão que seja meu companheiro de cochilos. Bebella não gosta de dormir perto de mim, ela gosta de ficar na porta para vigiar. Em compensação, é minha co-piloto. Toda vez que saio de carro, ela adora ficar ao meu lado, equilibrando no banco, tomando vento no focinho. Quando não vou levá-la, tenho que ficar esperta, pois só de abrir a porta do carro ela pula pra dentro.

O Bono é todo manhoso, bobão. Até derrete quando mexo em suas orelhas fofinhas. Quando estamos no sofá, ele vem quietinho ganhar um carinho, se a gente não passa a mão, ele faz birra. É sério! Ele é alucinado com o Vitor. Mas, pede as coisas para mim, porque aprendeu a se comunicar e a ganhar o que quer comigo. Ao passear na rua, ele acha que todas as pessoas têm que mexer com ele. Adora crianças e detesta outros machos aproximando de sua namoradinha. Os funcionários do pet shop até fotografam o modo de como se comporta no banho: deita na mesa do secador, cruza as patinhas e mostra a língua.

Bebella já é mais doidinha, toda pra frente. É neurótica com uma bolinha, gosta de nos presentear com um objeto roubado e muitas lambidelas. Se arreganha toda para coçarmos sua barriga e adora uma bagunça. Ela já não tem paciência com crianças, gosta é de idosos. Ela sabe a hora certa em que acordo, se passo do horário começa a pular na porta para me despertar. Ela é superobediente, muito doce e amável, autêntica golden fêmea. É gulosa igual eu. Perde tudo, mas não perde uma migalha se o cheiro é bom.

Posso contar mil casos desses dois. São a alegria da minha vida. Sempre que precisar sei que as lambidelas na bochecha vou ganhar! Se tiverem filhotes, já existe uma fila de espera. O mais engraçado é que para o pessoal do bairro eu e o Vitor somos invisíveis. Todos já conhecem o Bono e a Bella pelo nome, mas os dos donos? Hum, ninguém nem pergunta o nosso!

Enfim, quero dizer é que realmente eles são meus amigos! Amigos diferentes! Leais! São meus amigos cães! Se existe um dia do cão, esse dia deveria ser para compensá-los com um filé fresquinho! Compensá-los da presença alegre, fiel e carinhosa!

sábado, 18 de julho de 2009

Tentando voltar a escrever



Alguém deve ter percebido que há algum tempo não escrevo textos reflexivos conforme costumava fazer. Estou passando por um período de bloqueio, desde quando comecei a estudar. Não sei o motivo. Muitas vezes fico em frente ao PC pensando no que vou escrever, como agora por exemplo, e não sai nada. Simplesmente, sinto que tenho um turbilhão de assuntos para comentar e de repente bate um desânimo e penso que não será relevante.

Tenho passado por muitas mudanças profundas esse ano, talvez seja a razão de me sentir assim. Outro dia uma amiga perguntou se desestressei, porque no último encontro parecia uma pilha. Nem me dei conta disso. Só expliquei que deveria ser o contexto, ou o dia da TPM. Então, começo a pensar:

Com o correr do tempo, temos que administrar nossa vida de acordo com as prioridades e as metas, indignar menos, sonhar mais. Parar para analisar o caminho que estamos seguindo, quem estamos amando e a atenção que dedicamos. É preciso ser mais tolerante, menos provinciano e sair com a cabeça aberta mundo afora a procura do bem. Seria bom pensar mais em Deus e conversar baixinho numa oração que estampa a alma de cores vivas. Liberar a endorfina no exercício nosso de cada dia, sorrir para acalmar o coração e explodir de amor. Levar a sério a efemeridade da vida, deixar os vícios, as insignificâncias, reclamar zero e calar a má língua. É preciso gozar a liberdade sitiada, ajudar alguém e sentir bem o sabor do nosso suor quando o esforço nos tornar algo possível. Ter um canto, num lugar, só seu, amar seu bem, namorar, beijar, abraçar, cantar, dançar. Ser autêntico, curtir a natureza, mimar uma criança, afagar um cão. Lutar por uma causa, cumprir os compromissos obrigáveis e relaxar ao fim do dia. A vida tem alguns toques simples assim, e muitos outros mais gostosos, se soubermos que cada momento é único e passível de gratidão ao único Criador do universo!
Pronto, falei!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Alimentos que combatem ansiedade, cansaço e depressão

Estou indo muito bem seguindo meu plano alimentar preparado pela nutricionista. Só tenho que me controlar um pouco mais nos finais de semana por causa das festas juninas e julhinas. Em compensação, durante a semana, é bom para fazer sopas (nesse friozinho do inverno) e contribuir com o emagrecimento.
Achei muito interessante alguns alimentos que a nutricionista me recomendou que combatem ansiedade, nervosismo e cansaço. Eles estimulam o sistema nervoso para acabar com a irritação e espantar a tristeza.

Confira:

Alface: ótima para amenizar a irritação. O talo tem lactucina, substância que funciona como calmante. Também é rica em fosfato. A falta desse elemento no organismo causa depressão, confusão mental e cansaço.

Banana: Pode acreditar, essa fruta tão comum na nossa alimentação diminui a ansiedade e ajuda a garantir um sono tranqüilo. Ela tem esses poderes por ser rica em carboidratos, potássio, magnésio e biotina. A banana também dá o maior pique porque possui vitamina B6 que produz energia.

Espinafre: A verdura contém potássio e ácido fólico que previnem a depressão. Além disso, espinafre tem magnésio, fosfato e vitaminas A, C e do complexo B, que ajudam a estabilizar a pressão e garantem o bom funcionamento do sistema nervoso.

Frutos do Mar: Eles têm zinco e selênio que agem no cérebro, diminuindo o cansaço e a ansiedade. Também são boas fontes de proteína e gordura saudável (ômega 3), essencial para o bom funcionamento do coração.

Jabuticaba: essa frutinha contém ferro – que combate a anemia – e vitamina C que aumenta as defesas do organismo. Suas vitaminas do complexo B agem como antidepressivos. Além disso, a jabuticaba é rica em carboidratos que reanimam.

Laranja: rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do complexo B, ela ajuda o sistema nervoso a trabalhar adequadamente. O cálcio, presente em sua composição, é relaxante muscular e combate o estresse. Ainda é energética, hidratante e previne a fadiga.

Ovos: os nutrientes dos ovos que garantem o bom humor são a tiamina e a niacina (vitaminas do complexo B), ácido fólico e acetilcolina. A carência delas pode causar apatia, ansiedade e até perda de memória.

Uva: Essa fruta tem boa dose de vitaminas do complexo B, que ajudam no funcionamento do sistema nervoso. A vitamina C e os flavonóides da uva são antioxidantes que retardam o envelhecimento da pele e ajudam a combater o colesterol. Também é energética.

É preciso lembrar que esses alimentos devem ser incorporados à dieta na medida e porções certas, sem abuso.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Projeto de lei exige diploma de jornalismo em concursos públicos mineiros

Enfim, em Minas uma boa notícia!
"Taí" talvez eu lembre do candidato na próxima eleição se tiver mais projetos interessantes...

Uma semana depois do Supremo Tribunal Federal ter eliminado a exigência do diploma de jornalista para o exercício da profissão, o deputado estadual Alencar da Silveira Jr. apresenta um projeto de lei na Assembléia Legislativa de Minas Gerais que exige o diploma para ocupação de cargos nos órgãos públicos do Estado através de concursos. Segundo a proposta, o direito a ocupar as vagas será privativo de profissionais formados em curso superior de Comunicação Social, com habilitação em jornalismo, expedido por curso reconhecido pelo Ministério da Educação.
Se aprovada, a lei proibirá que profissionais de outras áreas sejam aprovados em seleções para cargos que exerçam atividades inerentes ao trabalho de jornalista, como reportagens, entrevistas, escritas ou faladas e redação, condensação, titulação, interpretação, correção ou coordenação de matéria a ser divulgada.
Radialista e jornalista, o deputado Alencar da Silveira argumenta que a exigência do diploma nos órgãos públicos é uma maneira de zelar pela qualidade da informação diante do fim da exigência do diploma. “O jornalista, sobretudo o que atua em órgãos públicos, além de técnica, tem que ter uma formação ética e comprometida com a informação de qualidade, já que é ele que dá transparência às ações do poder público. E isso nós só aprendemos nos bancos das faculdades”.
Para o deputado, a lei não mudará a dura realidade que os jornalistas brasileiros enfrentam nesse momento, porém “com esse tipo de medida e com os esforços das entidades de classe, dos jornalistas e de toda a sociedade, podemos pressionar para uma nova regulamentação da profissão. È isso que queremos”, frisou.
Fonte: Sindicato dos Jornalistas de Minas

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Diploma de jornalismo começa a perder valor nos concursos públicos



Começamos a sofrer as consequencias do fim da exigência do diploma de jornalismo.

Como prova, coloco para vocês a retificação do edital do concurso da Finep 2009:

(...)
CARGO 8: ANALISTA – ÁREA: INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA – SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL
REQUISITOS: diploma ou certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em qualquer área de formação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional na Delegacia Regional do Trabalho.
(...)

Detalhe: são 15 vagas. Era para empregar 15 jornalistas diplomados, mas não será assim, bastará escrever bem!