segunda-feira, 19 de julho de 2010

Recaída nas férias


Alguém pode me dizer como manter a dieta nas férias?

Já saí de férias com essa preocupação. No início tudo corria de vento em popa, corridinha todo dia, alimentação controlada. Até fazer a primeira viagem. Não teve jeito, café da manhã de hotel, comida de restaurante, foi uma perdição. Ganhei 2kg na brincadeira. Puxa, que mundo injusto, suo o mês inteiro para emagrecer isso e em duas semanas fora da rotina recupero o eliminado.
Bola pra frente, recaídas acontecem, o importante é manter o objetivo.

Outro dia, numa sessão de terapia descobri uma questão fundamental para ajudar a manter a dieta. Tenho imensa dificuldade em seguir ordens e ser tolhida de certos privilégios, como comer por exemplo, ou seja, se alguém me disser que comer uma rapadura é proibido eu vou lá e como mesmo, de pirraça. Quem me proíbe de algo que gosto?

Então, cheguei a seguinte conclusão: se eu quiser continuar gordinha para o resto da vida, eu posso! Ninguém pode me obrigar a emagrecer e eu não tenho problemas com a auto-aceitação, sou uma gordinha desencanada, não me acho feia e não fico infeliz por estar acima do peso. Só que não é o que eu quero. Eu quero é estar no meu peso ideal, para ficar mais bonita ainda e principalmente para poder ter uma gravidez mais tranquila quando chegar a hora. Isso eu posso porque eu quero! Então, qual o problema de seguir uma dieta? Qual o problema de restringir alguns alimentos ou a quantidade deles?

Pensei bastante. Quero alcançar pelo menos 80% de disciplina. Considero que estou com 50%. Não almejo os 100% porque sou uma garota rebelde, completamente indisciplinada desde os tempos da escola!!!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sobre o amor...



"Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido", Vinicius de Moraes
Quando me perguntam quantos anos tenho de namoro, todos quase caem pra trás com a resposta. E muitas vezes tenho que ficar justificando para as pessoas o motivo pelo qual namoro há 11 anos e ainda não me casei. Tenho a consciência tranquila e não me sinto enrolada ou encalhada porque simplesmente não chegou a minha hora. Comecei a namorar com apenas 15 anos e nunca imaginei que iria dar tão certo e que eu seria tão sortuda por amar quem também me ama. Então, dividir essa fase da vida tão intensa que é a juventude com a mesma pessoa não é nada fácil, mas é tão gostoso, tão bom, que me sinto privilegiada!

Histórias como a minha chegam a ser raras hoje em dia, por isso me sinto diferente. Muitos foram os caminhos que me levariam na direção contrária do Vitor, tivemos e ainda temos inúmeras dificuldades, mas eu passei a acreditar em alma gêmea. O Vitor além de meu namorado é o meu melhor amigo, às vezes mais amigo do que namorado e mais namorado do que amigo. Nosso companheirismo é fundamentado na parceria da vida, isso é, em tudo. A gente se diverte muito como também choramos juntos. Não tenho vergonha nenhuma em dizer o quanto eu o amo e o quanto sou feliz ao lado dele.

O bom de compartilhar a vida assim é que dividimos nossos sonhos e vamos construindo a mesma “obra”, lógico que respeitando a privacidade um do outro. Se é tão bom assim, por que não casamos? Porque tivemos que passar todas as fases da nossa juventude. Esse foi o preço. Aproveitamos e curtimos tudo, conscientes do que enfrentaríamos, não sobrou tempo para planejar a família, bem que tentamos, mas não foi o momento. Agora, é diferente, vai ser diferente.

Bom, não é sobre isso que queria falar. Lá vou eu querendo justificar denovo aquilo que só me diz respeito. Queria falar mesmo sobre o amor...

Sobre amar uma pessoa há tanto tempo e ainda conseguir olhar para ela com os mesmos olhos de quando nos apaixonamos, de sentir o friozinho na barriga quando pensamos o quanto a amamos e saber que ela também sente a mesma coisa. De não ter a certeza do futuro, mas ter a coragem de enfrentá-lo juntos; de não ter a certeza que vai ser pra sempre, mas sentir que é pra sempre enquanto dura e apostar tudo nisso; de conhecer todos os defeitos que mais te irritam, e ser capaz de pensar que você também têm vários e irrita ele do mesmo jeito. Se entregar de coração aberto a pessoa amada é ter a certeza de momentos felizes, mesmo sendo arriscado, só se arrepende quem não tenta.

O amor é simples, nada é complicado, só é complicado se não é correspondido. Amar é uma delícia! O amor não traz sofrimento, só traz sofrimento a falta dele...