segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Vida pós-casamento





Hora de recomeçar. Andei sumida, não escrevi para o blog, justamente no momento mais peculiar da minha vida que foi o casamento. Agora, por incentivo de familiares, principalmente da minha mãe, volto à labuta, às questões de peso.

Tenho tanta coisa pra contar, que preciso organizar as idéias. Vou começar pelo casamento. Nunca fui tão feliz e tão grata na minha vida! Deus realmente abençoa quem vai casar, quem vai começar uma nova família. Não tenho palavras para descrever os cuidados Dele comigo e com o Vitor.

Cada hora que entro na minha casinha, eu penso o que fiz para conseguir isso? E não tenho respostas. Tudo bem foi fruto do nosso trabalho, mas o plano inicial era morar de aluguel no apartamento da minha tia. Estávamos endividados e não tínhamos nem uma poupança. Como iríamos conseguir? Entregamos tudo nas mãos do Senhor. Foi a vontade Dele que prevaleceu. De repente, foram surgindo recursos. Pagamos as dívidas, demos entrada, pagamos os impostos, fizemos melhorias na casa, pagamos o casamento, enfim, tudo deu certo e hoje tenho um compromisso de 30 anos, mas pago o que é meu!

Recebemos tanto carinho dos amigos, da família, que realmente conhecemos quem nos quer muito bem! A cerimônia foi linda, perfeita! A expressão do nosso amor arrebatou o momento. Todos ficaram maravilhados e nós dois extasiados. A lua de mel então foi mágica! E agora no início da vida de casados está tudo caminhando conforme o que aprendemos e levamos para o nosso relacionamento. É tão gostoso você arrumar seu canto do seu jeito, ter a sua liberdade, seus compromissos, receber a família, os amigos. Casar faz bem para a saúde e para a alma!

A única dificuldade que estou tendo e dói muito é ficar longe dos meus cães! O Bono chega a chorar todas as noites a minha procura, a Bella fica desorientada. Sei que eles vão se acostumar e eu também, mas separar assim é muito difícil. Sem falar da falta da família, minha mãe, meu pai, meu irmão, meus avós. A fase de adaptação está sendo tranqüila pra mim, entre eu e o Vitor. A gente vai fazendo alguns ajustes, mas eu não me irrito com as manias dele e nem ele com as minhas, por enquanto. O que eu considero imprescindível é a comunicação entre o casal. Tivemos alguns problemas quanto a isso, mas já resolvemos. Tudo tem quer ser falado na hora, o outro não vai adivinhar seus pensamentos. Isso é óbvio e básico, mas quando estamos debaixo do mesmo teto fica mais evidente essa necessidade.


Enfim, sobre o peso, eu casei 10 kg mais magra, não consegui os 25kg necessários, mas fiquei e me senti linda do mesmo jeito. Tudo bem que já recuperei 7kg só nos dois primeiros meses. Como meu lema é recomeçar sempre, mais uma vez lá vou eu. Até porque a médica me proibiu de engravidar acima do peso, devido ao risco de diabetes, pressão alta, trombose, etc. Então, vamos lá! Vigilantes do peso em ação! No próximo texto vou contar como minha mãe emagreceu 35kg lá.