segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Dezembro com malhação e minha frase do ano

Bono Vox: meu verdadeiro amigo inseparável
Dezembro chega com tudo e, pra falar a verdade, considero o mês mais difícil para manter a dieta. Igual mês de férias. São tantas comemorações e confraternizações que em algum momento acabo não resistindo às tentações, não sou de ferro. O único jeito de compensar vai ser malhando todos os dias para não engordar. Esse ano, não quero contabilizar peso a mais na balança sendo que ele ficou em baixa 2010 inteiro.

2010 foi e continua sendo um ano bom. Um ano para fechar com chave de ouro, mesmo que não tenha cumprido alguns itens na listinha dos objetivos feita ano passado. Já vou escrever a mesma listinha para 2011.

Bom, passei aqui para deixar a frase que resume o ano que tive: "O ser capaz de viver em paz e tranquilidade durante algum tempo é testemunho de maturidade." (Irvine Page)

Como é bom ver resultados sendo alcançados e viver em equilíbrio. 2010 representa o equilíbrio na minha vida, não fui feliz demais, nem de menos, não fui triste demais, nem de menos, assim fiquei em paz!

Calma que o ano ainda não acabou e pretendo ter mais questões de peso em um mês. Firme e forte, eliminando peso!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Como se livrar da celulite?

Estou lendo mais um livro sobre obesidade, desta vez é o da Editora Larousse: Emagrecimento 100 perguntas e respostas, escrito pelo médico nutrólogo, dr. Hervé Robert. Estou gostando bastante do livro, pois há muitas informações, mas ainda sinto, obviamente, que faltam avanços nessa área da ciência. Vou postar algumas informações interessantes do livro aqui, começando com a questão da celulite.

Como se livrar da celulite?

A celulite, obsessão de inúmeras mulheres, é bem diferente da simples sobrecarga de gordura que caracteriza o excesso de peso e exige um tratamento específico.

O que é celulite?
É uma reserva de gordura destinada a assegurar um aporte energético correto durante uma gravidez ou aleitamento, mesmo em caso de períodos de escassez alimentar. Hoje em dia e nas nossas sociedades, em que o aporte diário de suprimentos necessários às necessidades vitais está praticamente garantido, esta preocupação da natureza parece supérflua e esse depósito é considerado sobretudo antiestético. Se ele se torna muito grande, fala-se de lipodistrofia ou mais comumente de “celulite”.

Qual sua origem?
O fator deflagador da celulite é hormonal. Ou se trata de um excesso de secreção de estrogênios (hormônios femininos secretados em grande parte pelos ovários) ou de uma hipersensibilidade a eles, mesmo quando presentes em quantidade normal. Os estrogênios agem sobre as células adiposas aumentando seu número e seu tamanho. Sob sua ação, os adipócitos cheios de gorduras aumentam de volume e comprimem os vasos. As trocas circulatórias tornam-se então defeituosas: a área subcutânea aumenta (casca de laranja), os dejetos celulares são mal-eliminados, os movimentos da água dificultados e as terminações nervosas comprimidas (daí uma dor difusa nos tecidos). O tecido conjuntivo de sustentação, que dá estrutura aos diferentes volumes situados sob a pele, enrijece-se e acaba por compartimentar os depósitos de gordura.

Como prevenir a celulite?
Seria preciso prevenir seu aparecimento desde a puberdade, sobretudo nas moças que já apresentam distúrbios venosos. Dentre as diferentes estratégias a pôr em prática, deve-se priorizar:

Impedir o início de um excesso de peso.
Evitar toda “delinquência alimentar”, especialmente os excessos de álcool e de açúcar.
Lutar contra a insuficiência venosa, se necessário com medicamentos, mas também evitando as longas exposições ao sol e o tabagismo (que diminui o calibre dos pequenos vasos, especialmente os da pele).
Combater o sedentarismo por meio uma atividade física moderada e a prática de um ou de vários esportes, já que músculos pouco desenvolvidos deixam espaço para as almofadinhas gordurosas.
Aprender a administrar o estresse.

Esses conselhos, se aplicados, teriam um verdadeiro efeito preventivo. Infelizmente, eles podem ser palavras ao vento, já que é difícil imaginar uma moça de 18 anos, que quer abraçar a vida, submeter-se a tantas obrigações...

O que fazer para melhorar seu aspecto geral?
Mesmo quando a celulite já está instalada, nunca é tarde demais para agir, mas saiba que quanto mais cedo intervir, melhor será o resultado. Não existe um único tratamento da celulite: o escolhido depende do estágio de evolução da celulite e inclui o emprego de diversos meios, quer dizer, ele visa cuidar globalmente do problema, o que implica uma revisão dos hábitos de vida.
Primeiro, é preciso dedicar-se em corrigir todo excesso de peso, já que isso agrava as compressões devidas à celulite. Uma vez resolvido um eventual excesso de peso, torna-se mais fácil determinar de quais volumes antiestéticos a celulite pode realmente ser acusada e consequentemente realizar um tratamento local.
O ideal é tratar a celulite adiposa por lipoaspiração. Em um certo estágio de evolução, é o único tratamento eficaz. Mas isso continua sendo uma verdadeira intervenção cirúrgica, com todos os riscos que ela comporta, que deve ser feita por um especialista e não por um cirurgião geral.
A celulite linfática responde melhor à drenagem linfática manual (efetuada por um fisioterapeuta) ou à mesoterapia. É recomendável vestir calcinhas e meias de contenção, ainda que feias ou incômodas no calor, assim como o uso de cremes anticelulite.
No caso de uma celulite endurecida, indica-se a endermologia, que consiste em massagens terapêuticas praticadas por um fisioterapeuta com um aparelho chamado Cellu M6. A mobilização das áreas com celulite e a ativações circulatória operadas por essa técnica têm um efeito benéfico.

Todas essas técnicas, caras, são apenas um dos aspectos do tratamento; elas devem sempre ser acompanhadas de bons hábitos de vida, como os que são preconizados para a prevenção da celulite.

Obs: Esse livro foi publicado em 2003, portanto já existem novas técnicas para tratar a celulite.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

A Carne é Fraca

Recentemente, assisti ao documentário A Carne é Fraca, produzido pelo Instituto Nina Rosa sobre os impactos causados pelo consumo de carne no mundo. Fiquei bem incomodada com as informações e não tinha nem idéia de como era um matadouro, ou do que a indústria faz com os animais, simplesmente porque nunca me passou pela cabeça saber disso. Como sou super curiosa, fui questionar alguns conhecidos os motivos de se tornarem vegetarianos, então me indicaram este vídeo.

Ao assistir confesso que fiquei chocada. Meu amor pelos animais é indiscutível, às vezes até penso que deveria ter feito veterinária. O documentário me incomodou tanto que estou reduzindo meu consumo de carne. Não virei vegetariana, até porque confesso ser apaixonada por carne, mas pelo menos não tenho coragem de ir a um rodízio ou comer certas carnes.

Só para ter uma idéia da razão pela qual fiquei assustada, o consumo de carne é um dos fatores responsáveis pela fome no mundo, pela destruição da camada de ozônio, poluição dos recursos hídricos, contaminação dos lençóis freáticos, desmatamento da Amazônia, entre outros. O mundo conta atualmente com cerca de 6 bilhões de cabeças de gado, 16 bilhões de aves. Só a Amazônia tem 35 milhões de bois e 22 milhões de habitantes. Para a produção de um quilo de carne de boi é necessário 15 mil litros de água, pois a criação de somente um boi corresponde a 35 litros de água por dia. Isso sem falar nos maus tratos, na quantidade de hormônios e medicamentos que esses animais recebem. Se você souber como são produzidos a vitela e o baby beef, eu duvido que continue a comer isso (se é que existem pessoas e pessoas...).

Vale a pena assistir ao documentário para se conscientizar. O consumo consciente é diferente, tenho certeza. Se todos agirem de certa maneira, poderemos contribuir para um mundo melhor. Nisso eu acredito. A decisão de continuar consumindo carne será somente sua.

Algo me deixou mais chateada ainda. Quando eu comentei desse vídeo para algumas pessoas, elas nem sequer quiseram saber a respeito. Já foram falando que são carnívoras, que é a cadeia alimentar, lei da natureza, que é uma bobagem, etc. Como se eu fosse tentar convencê-las de que ser vegetariano é o caminho da salvação, como se precisasse mudar de religião. Ainda me gozaram, falando que eu adoro um churrasquinho de picanha. Santa paciência!

Só mesmo a intolerância não faz as pessoas pararem, gastarem um pouco do seu precioso tempo, para pensar que podem estar prejudicando suas próprias gerações vindouras. Eu costumo argumentar que é a mesma coisa da imbecilidade de quem não pensou que ao jogar esgoto na Lagoa da Pampulha tudo aquilo não viraria um poço de dejetos. Como falar do assunto mais discutido do momento que é a sustentabilidade, se praticamos justamente o contrário?