sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sobre o amor...



"Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido", Vinicius de Moraes
Quando me perguntam quantos anos tenho de namoro, todos quase caem pra trás com a resposta. E muitas vezes tenho que ficar justificando para as pessoas o motivo pelo qual namoro há 11 anos e ainda não me casei. Tenho a consciência tranquila e não me sinto enrolada ou encalhada porque simplesmente não chegou a minha hora. Comecei a namorar com apenas 15 anos e nunca imaginei que iria dar tão certo e que eu seria tão sortuda por amar quem também me ama. Então, dividir essa fase da vida tão intensa que é a juventude com a mesma pessoa não é nada fácil, mas é tão gostoso, tão bom, que me sinto privilegiada!

Histórias como a minha chegam a ser raras hoje em dia, por isso me sinto diferente. Muitos foram os caminhos que me levariam na direção contrária do Vitor, tivemos e ainda temos inúmeras dificuldades, mas eu passei a acreditar em alma gêmea. O Vitor além de meu namorado é o meu melhor amigo, às vezes mais amigo do que namorado e mais namorado do que amigo. Nosso companheirismo é fundamentado na parceria da vida, isso é, em tudo. A gente se diverte muito como também choramos juntos. Não tenho vergonha nenhuma em dizer o quanto eu o amo e o quanto sou feliz ao lado dele.

O bom de compartilhar a vida assim é que dividimos nossos sonhos e vamos construindo a mesma “obra”, lógico que respeitando a privacidade um do outro. Se é tão bom assim, por que não casamos? Porque tivemos que passar todas as fases da nossa juventude. Esse foi o preço. Aproveitamos e curtimos tudo, conscientes do que enfrentaríamos, não sobrou tempo para planejar a família, bem que tentamos, mas não foi o momento. Agora, é diferente, vai ser diferente.

Bom, não é sobre isso que queria falar. Lá vou eu querendo justificar denovo aquilo que só me diz respeito. Queria falar mesmo sobre o amor...

Sobre amar uma pessoa há tanto tempo e ainda conseguir olhar para ela com os mesmos olhos de quando nos apaixonamos, de sentir o friozinho na barriga quando pensamos o quanto a amamos e saber que ela também sente a mesma coisa. De não ter a certeza do futuro, mas ter a coragem de enfrentá-lo juntos; de não ter a certeza que vai ser pra sempre, mas sentir que é pra sempre enquanto dura e apostar tudo nisso; de conhecer todos os defeitos que mais te irritam, e ser capaz de pensar que você também têm vários e irrita ele do mesmo jeito. Se entregar de coração aberto a pessoa amada é ter a certeza de momentos felizes, mesmo sendo arriscado, só se arrepende quem não tenta.

O amor é simples, nada é complicado, só é complicado se não é correspondido. Amar é uma delícia! O amor não traz sofrimento, só traz sofrimento a falta dele...

3 comentários:

Myrtis disse...

Noossa que maravilha, é de Deus mesmo esse namoro. Fico feliz por vc...ainda torço pra encontrar o que Deus já escolheu pra mim tambem...felicidades Beijos

Danielle disse...

lindo cada texto que leio aqui, como cresço!! parabéns por esse amor tão lindo!!
beijosss

Cláudia disse...

Amar é compartilhar, é repartir, é viver cada momento como se fosse único, enfim, é bom demais. E eu amo: amo o seu pai com a mesma intensidade de quando nos conhecemos, de quando começamos a construir nosso amor (sem nenhuma demagogia e você sabe disto).Amo sem restrições, amo com cumplicidade, amo com paciência... vivo amando e sou feliz...E, tenho certeza, de que você também é feliz: porque ama o Vítor e o Vítor te ama...mas também porque existe um outro tipo de amor que também é muito presente em sua vida: o nosso amor (gratuito, compartilhado, imenso, profundo), a nossa amizade (como é bom ser sua amiga, de verdade...), a nossa vida...Agradeço a Deus, todos os dias, pelos amores que são verdadeiros presentes em minha vida e que fazem da minha história uma linda história de muita felicidade...Obrigada, sempre.
Beijos
mamãe