segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Vamos dizer NÃO à Intolerância



Tenho a impressão de que a intolerância está reinando no mundo moderno. Você já reparou que as pessoas andam sem paciência para tudo, seja no trânsito, no trabalho, com os filhos, e principalmente no que diz respeito ao outro? Basta ser contrariada e a pessoa sai atacando a tudo e todos, extravasando os limites e exercendo a intolerância.

Parece que os intolerantes caminham bem devagar espiritualmente. O significado de coisas simples da vida como estar com a família, ir a pé na padaria, curtir o sol bem cedinho na praça, telefonar para um amigo, ganhar o sorriso de uma criança, sentir o sabor do café da manhã, tomar um banho gelado no calor, começar o dia com bom humor, orar baixinho, escutar sua música preferida no caminho do trabalho, entre outros milhares de pequenos detalhes deixaram de fazer a diferença na vida dessas pessoas.

O trânsito é o lugar dos intolerantes. Às vezes o tráfego está lento e tem sempre um apressadinho querendo se sair melhor do que os outros, colando na traseira dos que estão na frente. O sinal fecha e por causa de um segundo o abençoado avança e coloca em risco a própria vida e a do outro motorista. Alguém dá seta para estacionar em vias mais movimentadas e o de trás não pode esperar. Se for mulher então, piorou. Os homens acham que são superiores e coitada da mulher que comete um deslize no trânsito. Os pedestres não têm preferência, e por causa disso, ficam atrevidos, sem esperar o sinal fechar, muitas vezes, quase pulam na frente dos carros.

Exemplos de intolerância podem ser presenciados a todo instante. É o chefe que humilha o funcionário, o pai que bate na criança por motivo tolo, o vizinho que não agüenta o barulho, o namorado que não suporta as amigas da namorada, o professor que castiga o indisciplinado sem pensar numa estratégia pedagógica para lidar com a criança problemática, o ônibus que não passa no horário, a fila do banco que está enorme, o telefone que só dá ocupado, o computador que trava, o celular que não que dá sinal, o paquera que não liga... Tudo isso e outras pequenas coisas são capazes de tirar o intolerante do seu estado de paz.

Não podemos deixar que a intolerância cresça no nosso mundo. As pessoas precisam saber a dar valor nos momentos simples, nos momentos de espera. Tudo é pra ontem. Mas o hoje corre o risco de não ver o amanhã. A vida é curta e frágil demais para ser levada na correria, no estresse do dia a dia. Vamos aproveitar a fila do banco para fazer amizades, vamos curtir o engarrafamento para escutar aquela música que nos alegra, vamos pensar mais nos amigos, nos filhos, nas pessoas amadas e queridas. Porque tempo passa e não vemos, a vida passa e não vivemos tudo que queremos, e depois no perguntamos: por quê? Só por causa da intolerância!

3 comentários:

Alessandra Braga disse...

Oi Vá!
Como está? Sumi nada tô aqui!
Você tem razão, as pessoas precisam ter mais paciência umas com as outras. Aqui em SP tenho exercido muuuuuuuuuuito isto. Confesso que me acha uma pessoa bem paciente.rsrs...
Quediavem me visitar?
Bjim,

Vanessa Trotta disse...

Oi LÊ!
Bem que eu quero muito ir te visitar! Mas, por enquanto estou meio apertada!

Aqui, quando estou para perder a paciência lembro que escrevi esse texto e não posso me contradizer! rsrsrs

Um Beijo!

Anônimo disse...

Parabéns!!!