quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Minha questão de PESO

Fiquei um pouco desligada do blog, mas prometo que volto com toda força!

A questão de peso de hoje é realmente o meu peso. Por incrível que pareça, há uns três anos quando estava na faculdade cheguei a pesar 86kg, o meu auge de gordura. Tenho 1,64m de altura e quero chegar na meta de 61kg. Realmente não sei como isso aconteceu, minha compulsão, vazio interior, ansiedade louca, me deixaram assim descuidada. Não suportava mais e fui para o Vigilantes do Peso fazer a dieta dos pontos. Deu certo, emagreci 21kg no período de um ano. Fiquei com 65 kg e muito feliz. Estava quase lá!

Passou o tempo e o efeito sanfona voltou a me dominar. Emagreci, engordei, emagreci de novo e mais uma vez, cheguei aos 78kg hoje. Não sei o que acontece comigo, porém o que mais gosto nessa vida é de comer. Mas, não sei distinguir o ponto de quando como por prazer ou quando como para preencher o vazio, até para me punir. Agora, estou fazendo reeducação alimentar com uma nutricionista (que é ótima, quem quiser eu passo o telefone) e está mais dificil do que eu esperava.

Falta aquela força de vontade, acredito que é por causa da baixa auto-estima. Nos finais de semana me arrebento de tanto comer. Às vezes, tenho medo de passar fome e me descontrolo frente a um prato de comida. Quando me dei conta já era, papei mais do que devia.

É engraçado pensar como uma pessoa gorda, pois a coisa melhor que tem é emagrecer, o pior é como fazer para isso ocorrer. A sociedade exige a magreza, mas é toda voltada para a obesidade. Por exemplo, os compromissos sociais são em grande maioria todos “programas barriga”, os fast-foods, os supermercados, a crianças têm que ser gordinhas para ter sinal de saúde, mas quando crescem não sabem se alimentar saudavelmente, além dos produtos lights que são absurdamente mais caros, o que foi ótimo para a indústria alimentícia, e muitos outros exemplos que nos tornam escravos do peso.

Entender o que se passa na mente de quem precisa emagrecer é fácil, o necessário é executar essas ações. Então, sou refém dos alimentos calóricos, dos compromissos sociais que me agradam e principalemente da minha própria angústia e fragilidade diante da complusão pela comida. Isso irá mudar, tenho certeza. Mas, tem que começar por aqui, por mim e por você. É você mesmo: que sabe das minhas fraquezas e ainda me convida para jantar!
Fantástico:

2 comentários:

Iana Coimbra disse...

Vá,

Amei o seu post. É verdade. Vivemos em uma sociedade gorda mas que prega a magreza. Dureza, né. Essa é só mais uma incoerência da atualidade. Mas pode deixar que só te chamo para programas lights, tá.rs

E continue a escrever! Passarei aqui com frequencia!

Bjs!

Iana Coimbra disse...

Vá, atualize seu blog!!! Vou te cobrar pq assim vc sente que alguém está muito interessada em ler a sua batalha.

Bjs!