sexta-feira, 24 de julho de 2009

Que tal Dia do Cão Amigo?

Um ursinho!!!

Esse foi o meu primeiro beijo!!!

Algum de seus cochilos!

Bebella concentrada na bolinha!


Bono e Bella emburrados porque vamos sair!


No último dia do amigo recebi algumas mensagens carinhosas de amigos cuidadosos. Não sou muito cuidadosa, sou até muito relapsa, mas meus amigos me conhecem e acredito que gostam de mim assim mesmo. Fui pesquisar quem inventou o dia do amigo e descobri que foi um argentino. Quem quiser saber mais joga no Google! Fiquei pensando que então eu poderia inventar o Dia do Cão Amigo. Se é que ele não existe, mas se sim, deveríamos popularizá-lo.

Gente, existe amigo mais fiel que um cão? Até dizia Vinicius que o whisky é o cão engarrafado...
Enquanto estou aqui, nesse exato momento, meus dois goldens, Bono e Bella, estão deitados no meu pé, curtindo a minha adorável presença, pelo menos para eles. Se ouso me levantar a ir na cozinha, eles me acompanham. Acho isso fantástico! Meus cães querem estar onde estou.

Sem falar nas manias que eles têm. O poder de comunicação desses dois chega a me deixar pasma. Bono quando quer alguma coisa chega perto de mim, bate sua pata gigante e pesada na minha perna, e começa a latir. Bella simplesmente pula em cima de mim com seu jeito destrambelhado. Todos os dias quando chego do serviço, além deles estarem me esperando deitados no portão, Bebella sempre rouba algo, como o tapete do banheiro, e vem me entregar (a raça retriever explica). Eles me esperam almoçar do lado de fora, pois não gosto que fiquem babando do meu lado. Quando deixo eles entrarem, Bono para em frente ao meu quarto e começa a latir, aí eu tenho de falar: vamos deitar um tiquim?

Ficamos lá, eu na cama, ele embaixo, assisto ao jornal e ele cochila. Todos os dias tenho que fazer isso, caso contrário, escuto um choro baixinho com um suspiro profundo. Nunca mais vou ter um cão que seja meu companheiro de cochilos. Bebella não gosta de dormir perto de mim, ela gosta de ficar na porta para vigiar. Em compensação, é minha co-piloto. Toda vez que saio de carro, ela adora ficar ao meu lado, equilibrando no banco, tomando vento no focinho. Quando não vou levá-la, tenho que ficar esperta, pois só de abrir a porta do carro ela pula pra dentro.

O Bono é todo manhoso, bobão. Até derrete quando mexo em suas orelhas fofinhas. Quando estamos no sofá, ele vem quietinho ganhar um carinho, se a gente não passa a mão, ele faz birra. É sério! Ele é alucinado com o Vitor. Mas, pede as coisas para mim, porque aprendeu a se comunicar e a ganhar o que quer comigo. Ao passear na rua, ele acha que todas as pessoas têm que mexer com ele. Adora crianças e detesta outros machos aproximando de sua namoradinha. Os funcionários do pet shop até fotografam o modo de como se comporta no banho: deita na mesa do secador, cruza as patinhas e mostra a língua.

Bebella já é mais doidinha, toda pra frente. É neurótica com uma bolinha, gosta de nos presentear com um objeto roubado e muitas lambidelas. Se arreganha toda para coçarmos sua barriga e adora uma bagunça. Ela já não tem paciência com crianças, gosta é de idosos. Ela sabe a hora certa em que acordo, se passo do horário começa a pular na porta para me despertar. Ela é superobediente, muito doce e amável, autêntica golden fêmea. É gulosa igual eu. Perde tudo, mas não perde uma migalha se o cheiro é bom.

Posso contar mil casos desses dois. São a alegria da minha vida. Sempre que precisar sei que as lambidelas na bochecha vou ganhar! Se tiverem filhotes, já existe uma fila de espera. O mais engraçado é que para o pessoal do bairro eu e o Vitor somos invisíveis. Todos já conhecem o Bono e a Bella pelo nome, mas os dos donos? Hum, ninguém nem pergunta o nosso!

Enfim, quero dizer é que realmente eles são meus amigos! Amigos diferentes! Leais! São meus amigos cães! Se existe um dia do cão, esse dia deveria ser para compensá-los com um filé fresquinho! Compensá-los da presença alegre, fiel e carinhosa!

Um comentário:

{Amar Yasmine}_DEXPEX disse...

Ahhhh, Vanessa Querida!

Puxa vida, como me reconheço em tudo que vc escreveu aqui...
Atualmente tenho a Roxie, labrador, e os 4 gatos adotados: Sabbath, Sophie, Sukita e Whisky. Todos abandonados que tirei da rua.
O gato é um animal extraordinário. Pena que sofrem com o preconceito da maioria das pessoas. Eles são muito inteligentes, carinhosos, sensíveis, discretos e independentes. Não dão nenhum trabalho, só alegrias.
Posso me considerar uma pessoa feliz, porque ando cercada de animais e pq tenho sensibilidade para entende-los... e eles a mim.
Isto faz com que eu esqueça minhas agruras com os seres humanos.

Doces besos, lindinha.