sábado, 18 de julho de 2009

Tentando voltar a escrever



Alguém deve ter percebido que há algum tempo não escrevo textos reflexivos conforme costumava fazer. Estou passando por um período de bloqueio, desde quando comecei a estudar. Não sei o motivo. Muitas vezes fico em frente ao PC pensando no que vou escrever, como agora por exemplo, e não sai nada. Simplesmente, sinto que tenho um turbilhão de assuntos para comentar e de repente bate um desânimo e penso que não será relevante.

Tenho passado por muitas mudanças profundas esse ano, talvez seja a razão de me sentir assim. Outro dia uma amiga perguntou se desestressei, porque no último encontro parecia uma pilha. Nem me dei conta disso. Só expliquei que deveria ser o contexto, ou o dia da TPM. Então, começo a pensar:

Com o correr do tempo, temos que administrar nossa vida de acordo com as prioridades e as metas, indignar menos, sonhar mais. Parar para analisar o caminho que estamos seguindo, quem estamos amando e a atenção que dedicamos. É preciso ser mais tolerante, menos provinciano e sair com a cabeça aberta mundo afora a procura do bem. Seria bom pensar mais em Deus e conversar baixinho numa oração que estampa a alma de cores vivas. Liberar a endorfina no exercício nosso de cada dia, sorrir para acalmar o coração e explodir de amor. Levar a sério a efemeridade da vida, deixar os vícios, as insignificâncias, reclamar zero e calar a má língua. É preciso gozar a liberdade sitiada, ajudar alguém e sentir bem o sabor do nosso suor quando o esforço nos tornar algo possível. Ter um canto, num lugar, só seu, amar seu bem, namorar, beijar, abraçar, cantar, dançar. Ser autêntico, curtir a natureza, mimar uma criança, afagar um cão. Lutar por uma causa, cumprir os compromissos obrigáveis e relaxar ao fim do dia. A vida tem alguns toques simples assim, e muitos outros mais gostosos, se soubermos que cada momento é único e passível de gratidão ao único Criador do universo!
Pronto, falei!

Um comentário:

Lê disse...

Oi Vá!!!
Falou tudo!
Bjs!