segunda-feira, 2 de março de 2009

BBB da Morte

Jade e seu marido: às vésperas da morte
A britânica Jade Goody tornou-se célebre por ter participado de alguns Big Brothers na Europa, principalmente, por ter sido a primeira a fazer sexo diante das câmeras. Agora, ela é a celebridade do momento porque conseguiu vender sua própria morte. Ela sofre de câncer em estágio terminal e, segundo os médicos, tem poucos dias de vida. Uma rede de televisão britânica comprou da ex-bbb o direito de transmitir sua morte ao vivo. A morte, que só Deus sabe o dia e a hora, mas que já está para acontecer, foi vendida por milhões de euros que ficarão de herança para os filhos de Jade. Semana passada, ela também se casou com o presidiário Jack Tweed, que foi libertado condicionalmente para o evento, a fim de realizar seu sonho. O casamento também virou mais capítulo do BBB da Morte.
De início, censuro a escolha de Jade, depois chego a conclusão de que se existe uma TV para pagar milhões por isso, mais empresas anunciantes e ainda milhões de pessoas para assistir, quem sou eu para censurar alguma coisa. Mas, censuraria porque além de alimentar a sede de audiência dos telespectadores por tragédias e fatos cada vez mais absurdos do cotidiano, a banalização da morte nesse caso vence a veracidade da vida de um ser humano que provém do medo, da estranheza e da curiosidade sobre o único momento do qual todos nós temos certeza.
Alguém já presenciou a morte do outro? Se sim, creio que não foi agradável, se não, creio que seria importante pensar no caso disso nunca acontecer. Portanto, se analisarmos bem, a vida de Jade sempre foi um produto da mídia e sua morte não seria o contrário.
O único lado que posso concordar com essa barbárie é que pelo menos ela está pensando em deixar os filhos amparados, mas de como os filhos irão se lembrar disso já é outra história que merece uma análise psicológica.
Fonte e foto: Correio da Manhã

Nenhum comentário: